segunda-feira, 2 de novembro de 2009

ദിയ ടെ Finados


O Estado da Alma Depois da Morte, Um Estado de Existência Consciente

O Ensino da Escrituras sobre este ponto.

Tem-se levantado a questão sobre se, após a morte, a alma continua ativamente consciente e é capaz de ação racional e religiosa. Por vezes isso tem sido negado, sobre a base geral de que a alma, em sua atividade consciente, depende do cérebro e, portanto, não pode continuar a funcionar quando o cérebro é destruído. Mas, como já foi assinalado anteriormente (Capitulo III.D [da Teologia Sistemática deste autor]), a validade desse argumento pode ser posta em dúvida. "Ele se baseia", para usar as palavras de Dahle, "no erro de confundir o operário com a sua máquina". Do fato de que a consciência humana, na presente vida, transmite os seu efeitos pelo cérebro, não se segue necessariamente que não possa agir de nenhum outro modo.

Ao argumentarmos a favor da existência consciente da alma depois da morte, não nos apoiamos nos fenômenos do espiritismo dos dias atuais, e nem mesmo dependemos de argumentos filosóficos, embora estes não sejam destituídos de força. Buscamos nossas provas na Palavra de Deus, e particularmente no Novo Testamento. O rico e Lázaro participam de uma conversação, Lc 16.19-31. Paulo descreve os estado desencarnado como "habitar com o Senhor", e como uma coisa preferível à vida presente, 2 Co 5.6-9; Fp 1.23. Decerto que dificilmente ele falaria dessa maneira acerca de uma existência inconsciente, que seria uma virtual não existência.

Em Hb 12.23 se diz que os crentes têm chegado "aos espíritos dos justos aperfeiçoados", o que certamente implica sua existência consciente. Além disso, os espíritos debaixo do altar clamam por vingança contra os perseguidores da Igreja, Ap 6.9, e se afirma que as almas dos mártires reinam com Cristo, Ap 20.4. Esta verdade da existência consciente da alma depois da morte tem sido negada em mais de uma forma.

Autor: Louis Berkhof
Fonte: Teologia Sistemática do autor, p. 694 Ed Cultura Cristã.

Nenhum comentário:

Postar um comentário